Histórias, fases...

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010


Adoro lidar com gente, diferente, dinâmica.
O ato de conViver, de partilhar a vida ou parte dela, é um exercicio incrível.
ADORO falar, falo demais, mas tenho, ao mesmo tempo, uma capacidade razoável de observar o outro, como é, o que pensa, como se comporta. Ao mesmo tempo que sou extremamente crente no ser humano, tenho uma memória muito boa.
Com os post's de ontem, fiz uma viagem no tempo. Voltei às fases. Cada música que gosto marca uma fase dessas que vivi. Sou mesmo capaz de lembrar a música que tocava quando tomava café num botequim no Rio, ou a que dancei na noite anterior. A trilha sonora da novela baseada no livro de Jorge amado, a música que tocaram pra mim numa festa onde era convidada, a colocada na plenária final de um congresso, a que me fez chorar e deixar minhas amigas preocupadas, me procurando...
Minha primeira festa com o namorado, as novidades, e lá está ela, a música.
A paixão pelo coleguinha de infância, a música piegas de fim de ano na formatura do segundo grau, o funk dançado de longo no fim da universidade.
Minha memória é assim, musical.
Acabei passando boa parte do dia de ontem pensando nisso.
Hoje, na escola, lidando com jovens diferentes, de idades distintas, cada um num momento.
Jovens que convivem com dúvidas, sobre sí e sobre os outros, que se apaixonam, ou só se relacionam, sem compromisso, que tem que decidir o que vão ser "pro resto da vida", que já sabem o que querem ou que preferem nem sonhar com essa escolha. Que tem amigos, muitos, há muito tempo, que acabam de chegar e fizeram amizades novas, que ainda não fazem parte de turma, que preferem andar só ou em dupla.
Meninos e meninas que querem saber tudo sobre sexo, que entendem que maior que isso é o amor.
A vida é isso, uma descoberta sem fim, pra eles, para mim, para todos.
Vinicius de Moraes já a classificava como "A arte do encontro", de gente, pensamentos, mundos, onde cruzamos todos os dias com histórias, um pouco nossas, como as nossas, um pouco dos outros também.

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre mim, agora dei pra ter sonhos com trilha sonora (sério!!!). Essa noite tive um e a música ainda toca em meus ouvidos. Segue...


Teus Olhos

Marcelo Camelo & Ivete Sangalo

Teus olhos abrem pra mim
Todos os encantos
Teus olhos abrem pra mim

Teus olhos abrem pra mim
Todos os encantos bons
Tudo que se quer vai lá

Eu vi na Terra
Você chegando Assim
Assim, de um jeito tão sereno

Ai, ai, meu Deus do céu
Eu vivo sem pensar
Se sou só

Acho que não vou mais
Agora tudo tanto faz,
meu bem
Eu vi você passar
Levando meu encanto

Caminho sem saber de mim
Eu vivo sem pensar
Se sou só
ou sou mar

Mas eu conto com você
Pois enquanto eu não me resolver
Eu vou lá, eu vou lá
Pois enquanto eu não me resolver
Eu vou lá, eu vou lá

LUA ADVERSA

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Falei em fases, lembrei de um dos meus poemas favoritos: Lua Adversa, da Cecília Meireles.

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Na boca do Povo: Cantando...

video

Adoro música. De tempos em tempos vou fuçando, vendo umas coisas. Foi assim minha fase Camille, Carla Bruni, Ana Cañas, Chicas e, mais recentemente, Maria Gadu e Roberta Sá. no meio disso tudo achei esse clipe da Roberta com o Chico e de uma música que eu não conhecia.

A música é bacana, trata bem daquela idéia do blog, de falarmos de tudo, arte política, literatura. E sob a ótica de ampliar os palcos de debate desses assuntos. Espero que o blog fique assim, "No palco, na praça, no circo, num banco de jardim: CANTANDO..."

Como estou corrrendo com o fechamento do meu planejamento e a organização das próximas aulas, fica esse vídeo e a promessa de que em breve escrevo um post de verdade, kkk.

Bjins

Um projeto para o Brasil

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010


Bate a nossa porta, mais uma vez, as eleições presidencias. Nesse momento onde o partido dos trabalhadores reafirma o nome de Dilma como Pré-candidata à presidencia, resurge o debate acerca do país que queremos e construimos. O gritante aumento do número de empregos, o enfrentamento da crise de forma magistral, o aumento das universidades federais, o investimento na elaboração de diretrizes para a escola pública, inclusive com a definição do teto mínimo nacional para os professores, tud0 isso além de sinalizar para o avanço do país, apontam a construção de um projeto de nação, coisa da qual não estavamos acostumados.

Esse projeto foi comprado pelo povo brasileito tendo como capitão do barco, o presidente Lula. Chega o momento de reafirmar esse compromisso com o país, ainda que com outro capitão. Nesse caso se "oferece" pra o posto uma capitã, experiente, amadurecida em política, firme, arrojada. Não foi o projeto do Lula que ajudamos a construir. Foi o projeto coletivo, das forças avançadas, dos movimentos sociais, do povo brasileiro. A nova capitã tem competência pra continuar a tocá-lo.

De nossa parte, é necessário ir as ruas, bandeira em punho, enfrentar os ataques daqueles que há oito anos afirmam ter medo, medo de ver o povo assumir as rédeas desse país.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Agradecimentos: Rê, Déa, Mavi, Uilma e Peca, pelos comentários no Msn e no Orkut. Bonito, já começei a fazer o q pediu. Amo-vos


Terça feira de carnaval

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Salvador-Ba. 16 de fevereiro de 2010. Terça feira de carnaval.
Numa das cidades mais pipocantes do mundo, lá fora , o mundo pega fogo. Aqui dentro, numa casa no meio de uma ladeirinha de Amaralina, quatro amigos conversam, cantam, pensam, amam...
A possibilidade do encontro supera toda a folia que cerca a casinha.
A conversa transita no mundo da arte, da política, do uso incondicional da palavra como objeto de ligação entre culturas, gêneros, mentes.
De repente, ressurge dentro em mim o desejo incontido de escrever, fazer algo, por meus projetos pra rodar, diante do papo bacana e da música doce.
Dentre todos os maus hábitos que cultivo, um dos utilizados de forma mais recorrente é o de deixar meus projetos pela metade. Esse blog é um filho que acalentei durante um tempo, dei alimento, forjei a personalidade e, sem mais nem menos, abandonei por um longo ano. Talvez tenha achado por bem parar de descrever minha vida, na esperança de entendê-la um pouco melhor. Larguei o blog, não escrevi mais no diário, abandonei a agenda.
Se hoje retorno é pela necessidade de por essa cabecinha avoada para funcionar, me exprimir, me mostrar e exibir toda a loucura contida na vida mais comum e mais visceral que conheço.
Esse é só um texto de volta, passional, bobo e, ao mesmo tempo, profundo. Ele fala do prazer de ter amigos, de conviver com eles e de me sentir parte de um mundo onde as palavras nos levam, juntos, a qualquer maravilhoso lugar.
Bem vindos de volta. Espero que todos voltem. Até muito breve!!!